segunda-feira, 27 de julho de 2009

Adeus sem lenço branco

É difícil ver alguém partir. Talvez seja ainda mais difícil quando o alguém parte devagar, perdendo-se e fazendo-se perder dos demais a cada dia. O adeus extenso é tão ruim porque você não é capaz de acenar e simplesmente virar as costas; é como se fossem dados passos para trás em sentidos opostos, os olhos vidrados no do outro, a mão ainda estendida.
É assim que eu vejo meu pai partir. Aos poucos, em cada momento que ele sente dor, que ele geme, que ele nos olha numa tentativa de soltar o grito que sua garganta já não pode mais produzir.
O silêncio de seus olhos suplicantes me dá reviravoltas no estômago e uma aguda sensação de dor extracorpórea. Suas pernas endurecidas e quase imóveis exigem uma força dos braços e da alma. A respiração difícil enche meu peito de angústia. As dores, a aflição e o mal estar, é tudo tão constrangedor para uma pessoa saudável como eu, mas acima de tudo... é perturbador.
Por isso tudo eu me perco. Em determinadas horas é revolta, depois desespero, logo vem a tristeza, seguida do desconsolo apático. E tudo parece bem mais penoso.
Há 2 anos, ainda de pé e falando, ele disse que eu não precisava ter medo, que dali em diante viveríamos cada momento sem pensar no futuro. Nunca consegui encarar as coisas assim, e agora é ainda mais difícil. Ele ainda tenta, com certeza, pois mantém o riso, escreve poesias com o mínimo movimento da mão, nos manda beijos pelo olhar e tenta sobreviver como pode. Ainda é forte, por nós dois.
Enquanto isso, eu me preparo. Para o dia seguinte, para o próximo obstáculo da doença, para a partida. E mantenho os meus olhos sobre ele, cada um dando seu passo para trás, com as mãos estendidas.


[às vezes é bom desabafar]

7 comentários:

Gabriel disse...

Foi muito lindo ler isso.

Você escreve bem e, acima de tudo, sabe transmitir os seus sentimentos para o papel. É um dom.

Eu não te conheço, mas não aparenta, nem um pouco, que você não tenha a fibra necessária para superar tudo isso.

Cada obstáculo em nossas vidas nos deixa mais fortes.
Se vivêssemos em inércia, estaríamos atrofiados.
É por isso que passamos pelo que passamos, sem entender o que acontece.

O importante é termos ciência de que os eventos acontecem, mas de que tudo é aprendizado, seja ele qual for.

Continue forte, você consegue. ;D

Felipe disse...

;(

Nath disse...

Não sei o que dizer, desculpa essa sua amiga que emudece diante da situação. Só quero que saiba que mesmo não sabendo o que dizer, pq eu também não compreendo e por tentar entender parece que me distancio de uma resposta. Mas mesmo assim, "tamae" sempre.

Cláudio DeLarge disse...

Há aproximadamente 10 anos atrás, meu pai viera a falecer. Obviamente eu não entendia muito bem o que estava acontecendo, mas sofria. Minha familia, desconsolada, resolveu procurar assistência através do Kardecismo. Antes da morte do meu pai, ele e minha mãe haviam separado-se uns dois anos antes. Segundo um mendium muito querido por nós, essa separação foi uma 'preparação' para uma separação maio que viria. Não estavamos e talvez, nunca estariamos preparados para esta separação 'maior', mas houve uma 'preparação de terreno que facilitou a concepção da idéia. De qualquer forma, meu pai e seu pai, pelo pouco que o conheço, eram super parecidos. Alegres, simpaticos, fortes e adorados e adoráveis. A maior missão que o um pai poderia fazer, o seu a fez. Colocou e educou maravilhosamente bem filhos e, especialmente, uma filha que amo tanto. Ele passou a você as caracteríticas mais notáveis dele: a força, persistência, carisma e uma luz própria. Há mais mistérios entre o céu e a Terra ao que desconfia nossa vã filosofia. SInta-se orgulhosa, talvez não fisicamente, mas seu pai, com certeza, pode caminhar de queixo erquido e peito alto, por que ele é fantástico. :)
Amo você.

Daniele Fatima disse...

:'(

Palavras de quem está de fora são inúteis nessas horas, por isso não vou me estender. Força, muita força pra vocês. Um beijo

Ana Carla Oliveira disse...

Wi,
adorei. Principalmente porque sei a dor de uma partida. Que Deus os abençoe. Forças á ti.

Beijos

(¸.·´ (¸.·´ * Vanessa*(¸.·´ (¸.·´ MISS LITTLE FRECKLED disse...

Estou aqui para os momentos de revolta, de tristeza, de apatia, e seja mais o que for.
TE AMO